Heavy Metal Portugal - Music

    METAL - HEAVY; POWER; BLACK; DOOM; SPEED; THRASH; DEATH; GRIND; CROSSOVER...ETC

    Compartilhe

    Convidad
    Convidado

    Re: METAL - HEAVY; POWER; BLACK; DOOM; SPEED; THRASH; DEATH; GRIND; CROSSOVER...ETC

    Mensagem  Convidad em 23.11.09 21:32

    BloodTells escreveu:
    King.Babar escreveu:
    BloodTells escreveu:Isso tudo e muito mais em: http://www.metal-archives.com/
    icwhatyoudidthere xD
    da ultima vez q alguem fez um topico assim deu discussao e fexaram no em 3 tempos...

    Guest, o Babar disse tudo. Quando coloquei o link, era exactamente para dizer que existe um espaço para isso mesmo e não precisas de estar com o trabalho de plagiar e colocar aqui essa informação (em brasileiro, para mais...). E também temos os sites das bandas, que deverão ter as melhores biografias...

    É tão simplesmente exemplificativo de um percurso que vem no sentido dos anteriores tópicos (que criei) e estão relacionados com este. Fazem assim no conjunto um todo que se complementa. Mas se não concordam podem pedir para apagar ou colocar num sitio mais adequado ou correcto. Já disse também que não me dou a qualquer trabalho, é mesmo por gosto e paixão. Não vejo igualmente mal algum no Portugês do Brasil e muito menos no plágio. Por isso penso que faz sentido esta finalização. De qualquer maneira também não fico incomodado com a opção que tomarem.

    A decisão fica nas vossas mãos.
    Obrigado também pela vossa atenção!

    Convidad
    Convidado

    AGRADECIMENTOS

    Mensagem  Convidad em 24.11.09 12:50

    Cumpre-me, em meu nome, manifestar junto de vós, leitores deste tópico, o regozijo que sinto por esta mostra. Ela é testemunho da vitalidade de uma nova geração e do contínuo empenho de todos os que neste Fórum cumprem os seus dias.

    A todos os meus mais sinceros agradecimentos e os votos dos maiores sucessos.

    Uma palavra ainda para salientar o empenho demonstrado por todos, que sei ter sido muito de muitos, na realização desta “exposição” e o meu obrigado – repetido – àqueles que o apoiam e acolhem.

    Já foram avisados, mas porventura já esqueceram, que as vicissitudes da vida na cidade, as vicissitudes das instituições culturais, os orientadores de opinião e os pensadores mais ou menos isentos vão apoderar-se, vão escolher, vão seleccionar e silenciar uns ou outros, com justiça, com injustiça ou sem direito para tal.

    A vida cultural e artística vai opinar sobre este grupo. O vosso testemunho será quase sempre irrelevante perante o que vai acontecer. Este grupo vai expandir-se em vários sentidos, o que dará início a mais longa e complexa caminhada.

    Não há falsos músicos; mas existem falsos “médicos”; como também não há falsos críticos ou fruidores.

    “O maior mérito da nossa teoria não está no facto de se possuir uma ideia justa geral, mas de se ser naturalmente levado a conceber tal ideia…” – palavras de Clausewitz, estratega militar, no seu clássico campanha de 1814.

    A nossa singularidade é uma condição tão óbvia que não precisa de ser legislada ou enfatizada. Contudo, não se podendo “legislar” a diferença, podemos tentar consubstancia-la numa espécie de Uno-todo – nas palavras de Deleuze.

      Data/hora atual: 23.06.18 6:33